Após reestruturação, Caps realizou 844 atendimentos infantis e 516 em dependentes quimícos

No ano de 2017, atendendo a diretrizes estabelecidas no Plano de Governo do prefeito Rômulo Rippa, o Centro de Atendimento Psicossocial (Caps) de Porto Ferreira passou por uma grande reestruturação que permitiu iniciar os atendimentos ao público infantil e também em dependentes de álcool e drogas.

Isto permitiu ao Caps assumir todos os novos casos de AD (álcool e drogas) de Porto Ferreira e, aos poucos, também foi acolhendo para continuidade do tratamento ambulatorial os pacientes ferreirenses que até então eram atendidos em Santa Rita do Passa Quatro. Desde agosto, todos os pacientes da cidade que eram atendidos no município vizinho já estavam aos cuidados do Caps ferreirense.

O ano de 2017 fechou o atendimento de dependentes químicos com os seguintes números:

  • 116 atendimentos de Psicologia AD;
  • 271 atendimentos de Psiquiatria AD;
  • Uma visita domiciliar de psiquiatra AD;
  • 129 atendimentos familiares de psiquiatra AD;
  • 13 internações psiquiátricas AD.

Desde o ano passado o município também passou a fazer o atendimento do público infantil, com números bastante relevantes. Confira:

  • 476 atendimentos em Psiquiatria Infantil;
  • 9 internações em Psiquiatria Infantil;
  • 368 atendimentos em Psicologia Infantil.

É importante ressaltar que o município de Porto Ferreira não é elegível pelo Ministério da Saúde para sediar um Caps AD (população acima a 70 mil habitantes) e o Caps Infantil (população acima de 150 mil habitantes). “Com a reestruturação do Caps cumprimos metas do nosso Plano de Governo e estamos oferendo algo além do que determina o Ministério da Saúde, pois entendemos a importância de se prestar atendimento a crianças, adolescentes e dependentes químicos no próprio município”, disse o prefeito Rômulo Rippa.