Acervo do Museu Municipal recebe visita de jovem arqueóloga
Vinicius Carlos da Silva,
historiador e chefe de Seção de Preservação do Patrimônio Histórico e Cultural de Porto Ferreira.
Raisa Sampaio Moura de Oliveira, mestranda em Arqueologia pela USP.

No último dia 31 de janeiro o acervo do Museu Histórico e Pedagógico Professor Flávio da Silva Oliveira recebeu a visita da pesquisadora Raisa Sampaio Moura de Oliveira, mestranda em Arqueologia pela USP.

Nascida em Santa Rita do Passa Quatro, Raisa mudou-se para São Paulo ainda muito jovem, sem, no entanto, ter perdido o interesse pela história da região a qual pertence, o que a fez buscar lugares que trabalham com o intuito de preservar itens arqueológicos desta região, tendo se deparado em suas pesquisas com o acervo do Museu Municipal.

“A coleção de Arqueologia que pertence ao acervo do Museu Professor Flávio da Silva Oliveira é formada por materiais líticos e cerâmicas indígenas, provenientes de Porto Ferreira e cidades próximas. Sendo assim, são materiais que retratam o contexto arqueológico da região. Me chamou a atenção as pontas de flechas aqui presentes, que se constituem como um tipo de material arqueológico bastante especial. Além de serem esteticamente interessantes, são testemunhos de milhares de anos de acumulação e transmissão de conhecimento sobre técnica e além de serem utilizadas em atividades cotidianas como a caça e a pesca, poderiam também ter um valor simbólico. Pontas são encontradas em todo o país em diferentes contextos arqueológicos, porém são mais abundantes entre os Estados do Rio Grande do Sul e São Paulo. Pesquisas recentes apontam diferenças entre as pontas encontradas no sul do país e as pontas paulistas e essa variabilidade pode indicar fronteiras culturais”, explica.

A visita, que durou algumas horas, foi acompanhada de perto pelo também historiador e chefe de Seção de Preservação do Patrimônio Histórico e Cultural de Porto Ferreira, Vinicius Carlos da Silva, que explicou à pesquisadora as mudanças que ocorrerão no futuro quanto às questões de patrimônio no município de Porto Ferreira.

Raisa ainda destacou que “no processo de reformulação do museu estão sendo pensadas alternativas para a conservação e acondicionamento adequado das peças arqueológicas, além de um estudo específico sobre a coleção capaz de fornecer mais informações ao público. Trata-se de uma coleção importante sobre a Arqueologia de Porto Ferreira e região, que, ao ser explorada, pode nos contar uma história sobre os primeiros habitantes do local através de sua cultura material. O patrimônio arqueológico pertence a todos nós e deve ser valorizado como parte de nossa história enquanto sociedade e de nossa ancestralidade”, completou.

A pesquisadora ainda aproveitou a visita para conhecer os livros sobre a história local presentes na Biblioteca Municipal.