Casos de dengue confirmados sobem para 27 e outros 22 aguardam resultado de exames
Combata o mosquito periodicamente

A Seção de Controle de Vetores da Secretaria de Saúde de Porto Ferreira informa a atualização dos casos de dengue notificados no município, desde a última semana. Já são 27 casos confirmados este ano, sendo 26 no mês de fevereiro e um em janeiro.

Além disso, 22 casos suspeitos aguardam pelos resultados de exames. A maior parte dos casos confirmados está na região central, com 15 já confirmados e outros 7 aguardando resultados.

A equipe de endemias do Controle de Vetores atua de forma permanente nas atividades de bloqueio das áreas notificadas realizando as vistorias aos imóveis, remoção de criadouros existentes e orientação aos responsáveis para que realize a eliminação dos criadouros existentes dentro das casas e quintais, ao menos uma vez por semana.

Durante a semana de 1 a 5 de março, a equipe realizou controle de criadouros nos bairros Santa Rosa, Alto do Serra D’água, Jardim Primavera e Vila Daniel, onde há confirmação de casos de dengue e também casos notificados aguardando resultados.

Devido às restrições com a covid-19, a maior parte da população permanece em casa e deve aproveitar esse momento para eliminar os criadouros de suas residências, realizar a limpeza das calhas e lajes, vedar os ralos com tela mosquiteiro, verificar as tampas de caixa d’água, retirar dos quintais materiais como garrafas, plásticos, brinquedos quebrados, folhas de bananeiras, casca de coqueiros, e verificar outras plantas que acumulam água, como bromélias, espada de São Jorge, bananeiras ornamentais, lavar diariamente os bebedouros de animais, realizar o tratamento com cloro em piscinas, mesmo que não estejam sendo utilizadas. Evitar o descarte de lixo em terrenos baldios e áreas de vegetação também é essencial.

Essas medidas parecem repetitivas, mas são extremamente importantes, tendo em vista que durante as visitas aos imóveis são diariamente encontradas água parada e larvas do mosquito Aedes aegypti nesses criadouros habituais.

A colaboração da população é essencial para a diminuição dos casos de dengue no município. Cada um fazendo a sua parte em seus imóveis reduz consideravelmente o número de criadouros e consequentemente o número de Aedes aegypti que nascem e posteriormente se contaminam picando pessoas com a doença e assim, após o período de incubação do vírus, dissemina a doença para um número maior de pessoas ao redor dos casos já notificados. 

Dengue e covid-19 são doenças distintas e transmitidas de formas diferentes, podendo ocorrer contágio das duas doenças ao mesmo tempo. Tendo em vista que as duas doenças são extremamente graves, é essencial que cada um faça a sua parte e tome as medidas preventivas, enquanto e equipe do Controle de Vetores trabalha com as medidas de contenção neste momento.