Plano Museológico é recebido da Secretaria Estadual de Cultura e será alvo de debates antes de virar lei municipal
Secretário de Estado da Cultura, Marcelo Araújo, entrega Plano Museológico a Marco Riolino

O diretor do Departamento de Cultura e Turismo, Marco Riolino, esteve em São Paulo na Secretaria de Estado da Cultura para receber em mãos o Plano Museológico do Museu Histórico e Pedagógico Professor Flávio da Silva Oliveira. O documento foi entregue pessoalmente pelo secretário de Estado da Cultura, Marcelo Araújo.

O Plano Museológico foi elaborado pelo Sistema Estadual de Museus (Sisem), da Secretaria de Estado da Cultura, pela museóloga Elisabeth Zolcsak e apoio da Organização Social Acam Portinari. O projeto foi desenvolvido após visita, análise e acompanhamento das atividades mantidas pelo Museu, e contatos com o Departamento de Cultura. Com base nisso, foi traçado um plano direcionado que vai nortear as ações do museu, visando otimizar o espaço e atingir com eficiência seus objetivos.

Outros municípios também foram contemplados pela Secretaria de Estado da Cultura com um plano específico para seus museus: Araçatuba, Araraquara, Penápolis, Pirassununga e Santa Rita do Passa Quatro.

Na oportunidade, o diretor de Cultura de Porto Ferreira aproveitou para apresentar ao Secretário de Estado da Cultura um pouco do trabalho desenvolvido na área no município, além de fazer reivindicações.

“Foi um contato muito proveitoso com o secretário Marcelo Araújo, que recentemente assumiu a pasta. Ele já foi diretor da Pinacoteca do Estado e também é museólogo. Portanto, uma pessoa capacitada e sensível às questões que envolvem a cultura do nosso país, estado e município”, declarou Marco Riolino.

“Estamos muito satisfeitos com a abertura que nos foi dada durante a audiência em São Paulo para apresentar um pouco do nosso trabalho e dos projetos em andamento. Falamos dos trabalhos desenvolvidos do Museu Histórico, da sua criação e municipalização, além de citar os organismos de apoio, a criação do Conselho Municipal de Cultura, do Conselho de Patrimônio Histórico Artístico Cultura e as realizações das Conferencias Municipais”, prosseguiu o diretor.

Em Porto Ferreira, o plano museológico foi apresentado ao prefeito Maurício Rasi, que parabenizou os trabalhos do Departamento de Cultura e solicitou a realização do processo legal, ou seja, a apresentação para o Conselho Municipal de Cultura.

Tal etapa já aconteceu em reunião ordinária. Na sequência, será feita uma audiência pública, junto à próxima Conferência Municipal de Cultura. Em seguida, o documento será encaminhado à Procuradoria Jurídica, para criação do projeto de lei e, finalmente, à Câmara Municipal de Porto Ferreira para análise, deliberações e criação da lei.

Missão institucional

O Plano Museológico do Museu Histórico e Pedagógico Professor Flávio da Silva Oliveira é um delineamento das atividades que serão desenvolvidas para o desempenho da missão institucional.

Ele incorpora observações de visitas feitas pela museóloga Beth Zolcsak e sua equipe, através de diálogos, levantamento de dados e experiências na consultoria. Deve ser compreendido como documento de trabalho contínuo, com flexibilidade para revisões que acomodem as necessidades programáticas.

O Plano Museológico é o Plano Diretor do Museu, e sua utilidade é apresentar o espaço, organizar o dia a dia, orientar colaboradores, unificar termos, conquistar apoio, obter recursos, ou seja, institucionalizar o Museu.

A conquista do Plano Museológico é importante do ponto de vista legal, pois de acordo com a Lei Federal que institui o Estatuto de Museus, é dever destes elaborar e implementar o Plano Museológico. Esse plano é uma ferramenta básica de planejamento estratégico, de sentido global e integrador, indispensável para a identificação da missão da instituição museal e para a definição, o ordenamento e a priorização dos objetivos e das ações de cada uma de suas áreas de funcionamento.