Porto Ferreira confirmou 12 casos de dengue em uma semana na região central

A Seção de Controle de Vetores da Secretaria de Saúde de Porto Ferreira informa que foram confirmados 12 casos positivos de dengue no centro da cidade, todos autóctones - contraídos no próprio município - durante o período de 7 a 17 de fevereiro. Os resultados dos exames foram liberados entre terça e quarta-feira (16 e 17/02).

Recebidas as notificações e os resultados, toda a equipe de endemias foi direcionada para a realização de vistoria e eliminação de criadouros existentes com água e larvas em torno de 70 quarteirões delimitados para contenção da transmissão da doença.

A grande preocupação com esse número elevado de casos nesse curto período de tempo é a disseminação rápida de vírus e a contaminação de mais pessoas. A participação efetiva da população na eliminação dos criadouros em seus imóveis é essencial para diminuir a contaminação de novos mosquitos e consequentemente da população residente nesta área e de trabalhadores residentes em outros bairros que permanecem a maior parte do tempo no centro da cidade, em seu local de trabalho.

Com a recomendação do Ministério da Saúde frente à covid-19, na realização das vistorias apenas no peridomicílio, os agentes de endemias estão realizando as visitas aos imóveis verificando e removendo os criadouros existentes apenas nos quintais, edículas, jardins, área de serviço, calhas e orientando os moradores sobre os criadouros que possam existir no intradomicílio e que necessitam de cuidados permanentes, como bebedouros, plantas, bandeja externa de geladeira, bebedouro de animais, etc.

Os imóveis desocupados particulares ou sob a responsabilidade das imobiliárias estão sendo listados para vistoria, juntamente com as atividades de bloqueio e controle de criadouros em andamento.

Devido às restrições de vistoria em imóveis com pacientes positivos e suspeitos de covid-19 que estão em isolamento domiciliar, o Controle de Vetores alerta aos cidadãos que se atentem aos possíveis criadouros em suas residências e os elimine.

Dengue e covid-19 são doenças distintas e transmitidas de formas diferentes, podendo ocorrer contágio das duas doenças ao mesmo tempo. Tendo em vista que as duas doenças são extremamente graves, é essencial que cada um faça a sua parte e tome as medidas preventivas, enquanto e equipe do Controle de Vetores trabalha com as medidas de contenção neste momento.

A falta de cuidados na eliminação de recipientes que acumulam água e que consequentemente geram novas infestações de mosquitos adultosé fator de alto risco de transmissões de arboviroses. Lembrando que o índice larvário do município divulgado é de 11.95, ou seja, a cada 100 imóveis, 12 possuem larvas.

“Reforçamos que, apenas o trabalho da equipe de controle de endemias não é suficiente para o controle das doenças e eliminação dos criadouros. Se não houver a responsabilidade, participação e comprometimento da população na eliminação dos criadouros de Aedes aegypti para diminuição do vetor e transmissão de arboviroses durante todo o ano, o município poderá ter aumento no número de casos positivos de dengue e até mesmo uma nova epidemia, pois a transmissão é muito rápida”, disse Claudia Eliza Barboza Beozzo, assessora de políticas públicas de Saúde e coordenadora do Controle de Vetores.

A responsabilidade da população em manter seu imóvel limpo, sem criadouros de mosquitos, realizar o descarte de lixo de forma correta, não jogando em terrenos baldios e áreas públicas é dever de cada um, além de contribuir para um ambiente saudável em toda a comunidade.