Promulgada a Lei que cria o Centro Municipal de Formação Profissional
Centro Municipal de Formação Profissional
Porto Ferreira (SP)

Após aprovação da Câmara Municipal, o prefeito Rômulo Rippa promulgou no último dia 8 de agosto a lei municipal 3.452/2018, que cria o Centro Municipal de Formação Profissional.

Trata-se de um equipamento público que tem por objetivo a capacitação dos cidadãos em cursos de formação técnica básica, qualificando-os para o mercado de trabalho e preparando colaboradores e/ou empreendedores, reconhecidos por sua excelência profissional.

A instalação do Centro de Formação será no histórico prédio da antiga descaroçadora de algodão, na avenida Engenheiro Nicolau de Vergueiro Forjaz, onde funcionava o Centro de Treinamento do Senai, ao lado do novo Polo da Univesp.

O CMPF ficará subordinado à Secretaria de Educação, que o dotará de espaço físico, recursos materiais e humanos necessários ao seu funcionamento. A Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo ficará responsável pela orientação técnica dos programas, cursos, treinamentos, aperfeiçoamentos, especializações e outras ações de formação profissional que serão desenvolvidas.

Os programas deverão priorizar as formações profissionais diagnosticadas como necessidades do mercado de trabalho, potencializando a empregabilidade dos cidadãos formados.

O Centro poderá ainda realizar convênios, parcerias, termos de cooperação e contratos com entidades públicas e privadas, que tenham por objetivo a formação profissional.

“Na era da economia do conhecimento, em que se trata a informação como mercadoria e bem de produção necessários às atividades econômicas, a educação é cada vez mais essencial. Assim, é cada vez mais relevante a formação e qualificação profissional dos trabalhadores, estejam estes empregados ou não, uma vez que as empresas valorizam os mais preparados, com o objetivo de incremento de seu desempenho organizacional, em qualquer ramo de negócio”, destacou o prefeito Rômulo Rippa.

“A formação profissional não deve ser vista como uma obrigação legal, mas sim como um investimento de valor. Ao investir no desenvolvimento das competências técnicas dos cidadãos, colaboramos de forma direta no aumento da empregabilidade de nossos trabalhadores e na melhora significativa de performance de nossas empresas”, completou. O prefeito ainda agradeceu aos vereadores pela aprovação da matéria.