Secretaria de Cultura divulga programação da Semana da Mulher Negra
II Semana da Mulher Negra
Todas as atividades acontecerão no Anfiteatro Isaltino Casemiro

A Secretaria de Cultura de Porto Ferreira realiza de 1 a 4 de julho mais uma edição da Semana da Mulher Negra. Todas as atividades acontecerão no Anfiteatro Isaltino Casemiro, no Centro.

Nesta edição a homenageada será a escritora Carolina Maria de Jesus. Ela foi uma das primeiras escritoras negras do Brasil e é considerada uma das mais importantes escritoras do país.

A autora viveu boa parte de sua vida na favela do Canindé, na zona norte de São Paulo, sustentando a si mesma e seus três filhos como catadora de papéis. Em 1958, tem seu diário publicado sob o nome “Quarto de Despejo”, com auxílio do jornalista Audálio Dantas. O livro fez um enorme sucesso e chegou a ser traduzido para 14 línguas.

Carolina de Jesus era também compositora e poetisa. Sua obra permanece objeto de diversos estudos, tanto no Brasil quanto no exterior.

Acompanhe a programação:

Segunda-feira (01/07)

19h30

Grupo Subúrbio Negro

Palestra – “Mulheres Negras na Política”

Palestrante: Gleides Sodré Almazan. Nascida em 26 de fevereiro de 1973, em Vitória da Conquista (BA), com cinco irmãos de sangue e quatro de criação. Casada com Gilberto Almazan e mãe de Beatriz Sodré (23). Mulher de identidade negra, com pele clara, feminista, sindicalista e militante de movimento popular. Órfã de pai e mãe, recebeu emancipação de um juiz aos 12 anos de idade e, em seguida, em março de 1987, migrou para São Paulo, trabalhando como empregada doméstica para ajudar a cuidar dos irmãos, até o ano de 1992. Gleides é trabalhadora metalúrgica desde 1993. É diretora do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região desde o ano 2000. Foi a partir das lutas trabalhistas que teve oportunidade de estudar e se qualificar para o setor da indústria. Supervisora de qualidade. Desde seu ingresso como metalúrgica, foca o seu trabalho na defesa dos direitos dos trabalhadores, na inclusão social e, especialmente, nos direitos das crianças e adolescentes e das mulheres. Para isso, ocupa e ocupou diversos espaços de interlocução e de construção de políticas sindicais e públicas. Devido ao trabalho junto à Conaeti na construção da lista das piores formas de trabalho infantil, foi reconhecida com o título de comendadora da República, em 2008. Em 2010, foi convidada para assumir o cargo de secretária de Relações Internacionais da Prefeitura de Osasco e, dois anos e meio depois, tornou-se gerente do Fundo Social de Solidariedade. Diretora Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e da Força Sindical.

Terça-feira (02/07)

14h

Oficina de Escrita Criativa, com Jacqueline Theodoro.

19h30

Cantora Denise Serafim

Palestra: “Mulheres negras no Brasil, breve panorama”,

Palestrante: Taisa de Souza Santos. Bacharel e licenciada em Ciências Sociais. Pesquisa teoricamente e vivencia manifestações tradicionais da cultura negra, tais como a Festa do Divino Espírito Santo, pesquisa também ritmos da África do Oeste. Integrante do bloco afro Ilú Obá de Min. Professora da rede pública de ensino, arte educadora e educadora social.

Quarta-feira (03/07)

19h

Apresentação de Dança de Ana Carolina Rezendes.

“Mulheres Negras: realidade local”, com Carolina Constantino, Jacqueline Theodoro, Sueledy Mortol e Uiara Farias.

Quinta-feira (04/07):

14h

Cine debate

19h30

Grupo Metanóia Crew

Palestra: “Racismo institucional: o que é e como resistir”.

Palestrante: Dileia Martins. Doutoranda em Letras pela UEMS. Doutora em Educação Especial pela UFSCar. Professora Adjunta da Universidade Federal de São Carlos, Centro de Educação e Ciências Humanas, Departamento de Psicologia. Atua como docente do Programa de Pós-Graduação em Educação Especial, Curso de Bacharelado em Tradução e Interpretação em Libras e Língua Portuguesa e Curso de Licenciatura em Educação Especial.