Você sabia? Por que o Brasil é o país que abre a Assembleia Geral da ONU?
Oswaldo Aranha: um legado à diplomacia brasileira - Arquivo Nacional

Nesta terça feira, 24, inicia-se a Assembleia Geral da Onu, na sede da Organização em Nova York nos Estados Unidos. O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, que viajou na manhã de ontem, fará o discurso de abertura do evento que reúne as principais lideranças mundiais para discutir resoluções e acordos mundiais.

Todos os anos, desde 1955, apenas dez anos depois da fundação da instituição internacional em 1945, o Brasil é o país que abre a Assembleia Geral. A tradição nasceu da influência de um brasileiro que se tornou um dos maiores nomes da diplomacia brasileira: Oswaldo Aranha.

Oswaldo Euclides de Souza Aranha, nascido na cidade gaúcha de Alegrete em 1884 foi um dos principais políticos e diplomatas da história do Brasil. Formado em 1916 pela Faculdade de Direito do Rio de Janeiro, atuou decisivamente na Revolução de 1930, que levou Getúlio Vargas ao poder, além de ser ministro da Justiça e da Fazenda, embaixador e chefe do Ministério das Relações Exteriores de 1938 a 1934.

Em 1947, foi escolhido para presidir a primeira sessão especial da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). A sessão teve como objetivo discutir a partilha do território da Palestina e a criação de um possível Estado de Israel. A participação de Aranha na mediação da questão foi fundamental segundo historiadores para a criação israelense.

A criação do Estado de Israel foi aprovada em assembleia da ONU, presidida por Aranha, em 29 de novembro de 1947 e proclamada em 14 de maio de 1948. O fato de um brasileiro ter presidido a primeira sessão especial da Assembleia Geral, e como forma de reconhecimento pelo trabalho desenvolvido por Aranha, faz com que o Brasil seja sempre o primeiro país a discursar desde a décima reunião da cúpula em 1955, que se realiza anualmente nos Estados Unidos.

Aranha também foi indicado em 1947 ao prêmio Nobel da Paz, pelo papel desempenhado à frente da ONU na criação do Estado de Israel, porém o vencedor daquele ano foi Conselho dos Quacres, da Inglaterra. Oswaldo Aranha faleceu em janeiro de 1960 em sua residência do Rio de Janeiro.

Por Felipe Lamellas
Graduando em Comunicação Social: Jornalismo na Universidade Estadual Paulista "Júlio Mesquita Filho" em Bauru-SP
Professor de História no Cursinho Pré-Vestibular Gratuito "Principia"
Apresentador do programa Intercomunica na Rádio Comunidade FM

Para saber mais:

https://www.nexojornal.com.br/expresso/2019/09/22/O-que-esperar-do-discurso-de-Jair-Bolsonaro-na-ONU

https://educacao.uol.com.br/biografias/oswaldo-aranha.htm